Grupo faz ‘buzinaço’ e pede responsabilização de PM flagrado em vídeo agredindo universitárias dentro de apartamento em SC


Protesto reuniu centenas de carros que percorreram as ruas da cidade até o Batalhão da Policia Militar. Outro envolvendo violência policial contra jovens também é investigado no Vale do Itajaí. Buzinaço é realizado em Lages em apoio às vítimas agredidas por PM
Um buzinaço foi realizado terça-feira (4) em Lages, na Serra catarinense, após estudantes universitárias serem agredidas por um policial militar dentro do próprio apartamento. De acordo com os manifestantes, o protesto teve como objetivo chamar a atenção das autoridades para o caso e pedir justiça para que o policial seja responsabilizado. Centenas de carros saíram da frente do campi da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), onde as vítimas estudam, e percorreram as ruas da cidade até o Batalhão da Policia Militar.
A violência foi registrada em dois vídeos divulgados nas redes sociais, que mostram o agente batendo nas jovens com um cassetete dentro do apartamento delas. As estudantes moram no mesmo prédio do policial, localizado no bairro Coral, e o caso teria ocorrido na noite de segunda-feira (3). Quatro das vítimas moram no apartamento, e uma quinta jovem estava no local.
Três delas tiveram hematomas. As vítimas, de 21 e 23 anos, fizeram exame de corpo delito, registraram um boletim de ocorrência e estão sendo acompanhadas pela secretaria de assistência a mulher de Lages.
Policial de folga teria invadido apartamento de estudantes em Lages
O comando da Polícia Militar de Lages informou, na tarde de terça-feira (4), que um procedimento foi aberto para apurar a conduta do policial. De acordo com a corporação, o PM estava afastado de suas funções por ser do grupo de risco da Covid-19.
O caso também será investigado pela Polícia Civil e o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). Após a investigação, a promotoria decide se abrirá inquérito ou se faz termo circunstanciado. Entre as atribuições verificadas pelo MPSC estão de possível violência contra a mulher e se o homem policial se valeu da condição de policial para agredir as jovens.
Vítimas comemoravam aprovação no TCC
Segundo relato de uma das vítimas, a discussão começou porque elas comemoravam a aprovação do trabalho de conclusão de curso de uma das moradoras e estavam ouvindo música até as 22h, quando o policial bateu com o cassete na porta e invadiu o apartamento.
“Às 22h a gente parou com a música, temos tudo documentado. A gente não permitiu a entrada dele no apartamento. Aí começou o que os vídeos por si só já mostram”, contou uma das jovens.
A Udesc divulgou nota repudiando a violência contra as estudantes e informando que pediu providências ao comando do batalhão.
Agressões de PM ocorreram dentro de apartamento das estudantes
NSC TV/Reprodução
Outro caso
Outro caso de violência cometida por policiais militares contra jovens está sendo investigado em Guabiruba, no Vale do Itajaí. As agressões foram registradas em vídeo durante uma abordagem, após a polícia ser acionada para encerrar uma festa.
Na tarde de terça-feira (4), o comandante da 7ª Região de Polícia Militar, tenente-coronel Ricardo Alves da Silva, informou que foi determinada a abertura de um inquérito militar.
“Esses policiais serão afastados temporariamente de suas atividades até que se apure realmente tudo que envolveu esses fatos”, disse por meio de vídeo.
Vídeo flagra agressão da PM e MPSC requisita abertura de inquérito
Veja outras notícias do estado no G1 SC

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui