Hospital Regional de Presidente Prudente registra queda de 14% nos atendimentos de pacientes com AVC durante a pandemia de coronavírus


Dados são de janeiro a setembro de 2020, comparados com o mesmo período do ano passado. Neurologista explicou que a procura pelo hospital diminuiu principalmente por conta do isolamento social. Hospital Regional registrou queda no número de atendimentos de pacientes com AVC
HR/Divulgação
O Hospital Regional (HR) de Presidente Prudente informou nesta quinta-feira (29) que o número de atendimentos a pacientes com Acidente Vascular Cerebral (AVC) sofreu queda de 14,2% neste ano na unidade de saúde. Os dados coletados são de 1º de janeiro a 30 de setembro, em comparativo realizado pela unidade com o mesmo período do ano passado.
Em 2019, foram efetuados 868 atendimentos relacionados ao AVC dentro do período destacado no levantamento. Já neste ano, principalmente em meio à pandemia do novo coronavírus, o número de atendimentos no HR caiu para 744.
Segundo a médica Maria Teresa Fernandes Castilho Garcia, neurologista do Hospital Regional, os dados demonstram que no início da pandemia os pacientes diminuíram a procura por hospitais, fazendo com que houvesse essa queda de 14% nos atendimentos e, consequentemente, na resolução dos casos de AVC.
“É preciso conscientizar a população, sobretudo na pandemia, de que o AVC é uma emergência médica e, se houver uma suspeita de isquemia, é necessário ligar imediatamente para o serviço de resgate”, explicou.
O Hospital Regional informou alguns dos sintomas que podem ajudar a detectar o AVC logo no início:
Alteração da força muscular ou formigamento, principalmente dos braços, pernas ou de um lado do corpo;
Assimetria facial;
Dificuldade na fala;
Movimentação da língua;
Outros sinais como dor de cabeça súbita e intensa sem causa aparente, perda da visão de um olho ou dos dois e vertigem súbita intensa e desequilíbrio associado a náuseas ou vômitos também podem indicar a presença de um derrame.
A unidade ainda orientou que as seguintes orientações podem ajudar a identificar um AVC:
Peça para a pessoa sorrir. Durante um AVC, a boca tende a ficar torta;
Peça para a pessoa levantar o braço. Se a pessoa tiver dificuldades para realizar o movimento, pode ser indício de AVC;
Peça para a pessoa repetir uma frase; caso ela não consiga verbalizar, pode ser um indicativo de AVC;
Ao perceber os sintomas, ligue imediatamente para um serviço de urgência de referência.
Nesta quinta-feira (29), é celebrado o Dia Mundial de Combate ao Acidente Vascular Cerebral.
Prevenção
De acordo com o Ministério da Saúde, o AVC representa a primeira causa de morte e incapacidade no Brasil, gerando grande impacto econômico e social. Muitos fatores de risco contribuem para o seu aparecimento.
Alguns desses fatores não podem ser modificados, como a idade, a raça, a constituição genética e o sexo. Outros fatores, entretanto, podem ser diagnosticados e tratados, tais como a hipertensão arterial (pressão alta), a diabetes mellitus, as doenças cardíacas, a enxaqueca, o uso de anticoncepcionais hormonais, a ingestão de bebidas alcoólicas, o fumo, o sedentarismo (falta de atividades físicas) e a obesidade.
A adequação dos hábitos de vida diária é primordial para a prevenção do AVC.
Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui